Livros

Confira 7 benefícios inesperados em sermos bookworms

Sete fatos científicos que podem provar que somos os melhores seres humanos!

Sendo bookworms, nós não conseguimos deixar de ser um pouco tendenciosos sobre sermos as melhores pessoas… Mas aqui estão sete fatos científicos que podem provar que realmente temos razão! Da próxima vez que alguém te questionar por ler muito, mostre esses fatos científicos e prove que está absolutamente certo!

Booksworms vivem mais

De acordo com esse artigo publicado pelo Social Science & Medicine Journal, livros prolongam a vida dos leitores. Examinando 3600 leitores com mais de 50 anos, Yale descobriu que aqueles que liam com freqüência viveram 23 meses mais. Isso considerando que eles só liam 30 minutos por dia.

Ler pode expandir seu vocabulário

Um estudo do The Journal of Direct instruction mostrou que crianças que lêem fora do ambiente escolar mostram sinais de melhora no vocabulário.  Além disso, crianças que começam a ler cedo têm uma melhor habilidade cognitiva e são capazes de aprender mais palavras.

Ler ficção pode te deixar mais empática

Este estudo de 2013 descobriu que bookworms que lêem ficção, são emocionalmente transportado para a história, e isso os ajuda a ser mais sensível aos sentimentos dos outros. Esses leitores se envolvem mais com esse gênero porque eles não precisam necessariamente acreditar nos fatos que estão lendo. Assim a atividade do cérebro aumenta e o impacto “pós-livro” é maior.

Ler pode ajudar a diminuir o estresse

A Mindlab International at the University of Sussex descobriu que ler ajuda a diminuir o estresse em até 68% (mas isso a gente já sabia sem precisar de pesquisas, né?!). No estudo, era solicitado que as pessoas lessem em silencio por seis minutos. Dessa forma descobriram que a atividade diminuía os batimentos cárdicos e relaxava os músculos. O fato de ler nos leva a “estado alterado de consciência”, fazendo com que esqueçam a ansiedade por algum tempo. Ah, por conseqüência, ler pode te ajudar a dormir melhor.

Ler exercita o cérebro, levando a menores taxas de declínio cognitivo

Um estudo neurológico mostra que exercitar o seu cérebro lendo pode diminuir a taxa de declínio cognitivo em adultos mais velhos. Pesquisadores acompanharam 294 pessoas com mais de 55 anos. Eles descobriram que aqueles que liam e escreviam mostraram uma taxa de declínio 15% menos que os outros. Então, manter a mente ocupada ajuda a diminuir doenças como demência.

Meninos que crescem com livros têm mais sucesso financeiro quando adultos

Economistas da University of Padova examinaram 5.820 meninos e descobriram que aqueles que liam mais de 10 livros em casa recebem 21% mais do que os que não liam fora do ambiente escolar. Por terem crescido em meio aos livros, eles foram expostos a mais informações sobre o mundo. Conclusão: isso afetou sua “curiosidade e ambição”, levando-os a serem profissionais de sucesso.

Ser um amante de livros pode melhorar a sua vida amorosa

De acordo com um relatório do eHarmony UK, pessoas que colocam em seus perfis de relacionamentos que lêem tem um aumento de comunicação: homens recebem 19% mais mensagens, e mulheres recebem 3% mais. Por exemplo, livros como “Os homens que não amavam as mulheres”, recebem mais mensagens de potencial matches. De acordo com o eHarmony, bookworms também são mais “intelectualmente curiosos” e, portanto, mais propensos a começar a conversar com outros leitores.

You Might Also Like

No Comments

Leave a Reply